A Diretoria da escola de samba Turma de Mangueira, a segunda mais antiga do País, oferecerá nesta sexta-feira(10), um coquetel logo mais, na sede da escola, no calçadão cultural do bairro do João Paulo, o enredo da escola para 2020 na passarela do Anel Viário.

O evento contará com a participação de convidados, imprensa e a comunidade mangueirense

QUEM É ELA!
Maria Firmina dos Reis nasceu na Ilha de São Luís, no Maranhão, em 11 de março de 1822, sendo batizada somente a 21 de dezembro de 1825, em virtude de uma enfermidade que a acometeu nos primeiros anos de vida.

Segundo o registro, Maria Firmina foi batizada na freguesia de Nossa Senhora da Vitória, em São Luís do Maranhão, sendo padrinhos o capitão de milícias João Nogueira de Souza, e Nossa Senhora dos Remédios, não sendo informada nem sua paternidade nem a data do nascimento.

Em 25 de junho de 1847, visando a inscrição no concurso público da cadeira de primeiras letras da vila de São José de Guimarães, então apenas possível para a idade mínima de 25 anos, Maria Firmina solicitou nova certidão de justificação de batismo, na qual informou a data de nascimento como 11 de março de 1822, e o nome de sua mãe, Leonor Felipa, mulata forra, sendo o processo concluído em 13 de julho desse ano.

Leonor Felipa havia sido escrava do comendador Caetano José Teixeira, falecido em 1819, grande comerciante e proprietário de terras na vila de São José de Guimarães, proprietário de uma companhia comercial com avultadas transações no fim do período colonial, e no início do Império.

Tanto o registro de batismo como a certidão de 1947 são omissas em relação ao nome do pai de Maria Firmina, o qual apenas é declarado no seu registro de óbito, datado de 17 de novembro de 1917, com o nome de João Pedro Esteves. João Pedro Esteves, homem de posses, era sócio do antigo dono da mãe de Maria Firmina, a escrava Leonor Felipa, na sua companhia comercial.

Segundo algumas fontes, seria prima do *escritor maranhense Francisco Sotero dos Reis* por parte da mãe, embora se desconheça com que fundamento e em que grau. Em 1830, mudou-se com a família para a vila de São José de Guimarães, no continente. Viveu parte de sua vida na casa de uma tia materna mais bem situada economicamente.

Em 1847, concorreu à cadeira de Instrução Primária nessa localidade e, sendo aprovada, ali mesmo exerceu a profissão, como professora de primeiras letras, de 1847 a 1881.Maria Firmina dos Reis nunca se casou.

”URSULA”
Em 1859, publicou o romance “Úrsula” considerado o primeiro romance de uma autora do Brasil.Em 1887, publicou na Revista Maranhense o conto “A Escrava”, no qual se descreve uma participante ativa da causa abolicionista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Programa Top especial Argentina neste final de semana na TV Band MA

sex jan 10 , 2020
<div class="at-above-post addthis_tool" data-url="https://petrusnews.com/2020/01/a-vida-de-maria-firmina-na-visao-da-verde-e-rosa/"></div>Fique ligadinho no Programa Top neste final de semana está imperdível! O apresentador e colunista social William Santos esteve recentemente em Buenos Aires Argentina e […]<!-- AddThis Advanced Settings above via filter on get_the_excerpt --><!-- AddThis Advanced Settings below via filter on get_the_excerpt --><!-- AddThis Advanced Settings generic via filter on get_the_excerpt --><!-- AddThis Share Buttons above via filter on get_the_excerpt --><!-- AddThis Share Buttons below via filter on get_the_excerpt --><div class="at-below-post addthis_tool" data-url="https://petrusnews.com/2020/01/a-vida-de-maria-firmina-na-visao-da-verde-e-rosa/"></div><!-- AddThis Share Buttons generic via filter on get_the_excerpt -->